Mitos e verdades sobre a polpa do dente de leite

Fonte de células-tronco, material pode ajudar no tratamento de doenças.

A troca dos dentes de leite faz parte de uma fase muito importante da vida da criança, porém, poucos familiares sabem que o dentinho pode servir para o tratamento de diversas doenças. “A polpa dos dentes de leite contém células-tronco do tipo mesenquimal, que têm capacidade de, em laboratório, se transformar em uma variedade de outras células para a reparação de tecidos, como muscular, nervoso, ósseo, além de cartilagem, pele e outros tecidos epiteliais”, explica Nelson Tatsui, Diretor-Técnico do Grupo Criogênesis e Hematologista do HC-FMUSP.

Mesmo diante de tantos benefícios, ainda existem muitas dúvidas sobre a coleta. Para auxiliar esse processo, o especialista discorre sobre alguns pontos mais recorrentes sobre o tema.

  • Pesquisas indicam que, futuramente, o material será usado para o tratamento de diversas patologias.
    VERDADE. Pesquisas indicam a possibilidade de tratamento em doenças como a diabetes tipo 1, lesão medular, acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, lesões da córnea e doenças neurológicas como Parkinson.
  • A coleta é invasiva.
    MITO. A coleta é um processo não-invasivo, pois a queda do dente já ocorre nas crianças entre cinco e 12 anos de idade, contudo o procedimento é realizado por um dentista especializado.
  • Apenas o doador pode usar o material.
    MITO. Por se tratar de células imunocompatíveis, o material coletado pode ser viável não só para doador, mas também para outros parentes, como um irmão, por exemplo. Neste cenário, os diversos estudos e investimentos na área fazem da coleta um investimento preventivo para as famílias. Por se tratar de células jovens e com ótima qualidade, o material encontrado no dente de leite é multipotente e imunotolerante, ou seja, serve tanto ao doador como para a família.
  • O material só pode ser coletado por um dentista.
    VERDADE
    . Para que as células-tronco do dente de leite possam ser aproveitadas, a retirada deve ser realizada por um dentista. O material deve ser acondicionado em um kit específico de transporte e enviado imediatamente à clínica para o devido processamento laboratorial.
  • Com apenas um dente é possível ter material suficiente para uso.
    VERDADE
    . Um único dente é capaz de gerar milhões de células-tronco, uma vez que seu potencial de multiplicação é elevado.

Fonte: Assessoria de Imprensa

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA