Imposto de Renda para dentistas

Para orientar os cirurgiões-dentistas e demais profissionais da Odontologia sobre as mudanças do Imposto de Renda Pessoa Física em 2020, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo convidou a advogada Marcela Magno para sanar questionamentos sobre a declaração.

Neste ano, o prazo para enviar o documento sobre os rendimentos referentes ao ano de 2019 foi adiado até 30 de junho devido à pandemia de Covid-19.

Em sua apresentação, a advogada falou principalmente sobre quais foram as mudanças em relação à declaração do ano passado. As principais são que, a partir do IR de 2020, o declarante terá a obrigatoriedade de apresentar o CPF de seus dependentes, não importando a idade. Outro destaque é a contribuição da previdência patronal dos empregados domésticos que deixou de ser dedutível. Agora, é obrigatório inserir informações sobre imóveis, veículos, embarcações, aeronaves, contas correntes e aplicações financeiras.

Aos cirurgiões-dentistas que são profissionais autônomos, ou seja, não possuem um CNPJ, a profissional enfatizou a necessidade de separar e declarar todos os recibos emitidos para que se evite cair em malha fiscal. Isso porque os valores gastos com serviços odontológicos são dedutíveis para os pacientes e serão declarados por eles.

Em relação aos tributos dedutíveis, os cirurgiões-dentistas podem incluir custos com funcionários registrados, encargos de contratação de equipe, manutenção da clínica ou consultório (aluguel, contas de água, luz etc.), pagamentos ao conselho de classe (CRO) e sindicatos, contabilidade e despesas com propaganda. Importante ressaltar que móveis e equipamento odontológico não são dedutíveis.

Além desses pontos, a palestrante também abordou as possibilidades de declaração por meio do Simples Nacional ou Lucro presumido e como declarar a aquisição de ações, cripto moeda e movimentações financeiras.

A palestra completa está disponível no canal TV CROSP no Youtube. Assista.


Fonte: CROSP

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA