Higiene bucal pode prevenir complicações da Covid-19

De acordo com Thiago Altro, cirurgião-dentista da Clínica Odontológica AltroVilela, o equilíbrio da saúde bucal pode ser um aliado no combate ao vírus.

Diante do cenário atual, de pandemia do novo coronavírus, reforçar cuidados de higiene bucal é fundamental para a saúde da população. Uma das principais vias de contaminação pela Covid-19, a boca possui milhares de micro-organismos que ajudam a manter o equilíbrio do corpo e auxiliam em processos importantes, como a digestão de alimentos.

Segundo o cirurgião-dentista Thiago Altro,  reabilitador oral da Clínica Odontológica AltroVilela, em Campinas, quando o paciente apresenta problemas bucais, esse “ecossistema” de equilíbrio pode se desorganizar e tornar-se um promotor de doenças. “Transtornos como infecção aguda ou crônica de canais, cáries, infiltrações de obturações ou coroas e sisos inflamados são potencialmente patogênicos para o corpo. A quantidade de micro-organismos em situações assim aumentam em número e em periculosidade, pois nessas circunstâncias a flora bacteriana bucal tende a ficar mórbida”, ressalta.

O especialista explica que indivíduos portadores de próteses totais, como dentaduras e implantes fixos, que não fizeram acompanhamento nos últimos 12 meses, devem tomar cuidados especiais nos dias de hoje. “Essas pessoas devem ir ao dentista para manutenções periódicas, pois o risco de contaminação é ainda maior”, alerta Altro.

No caso dos contaminados pela Covid-19, a higiene bucal pode prevenir complicações à saúde, principalmente para aqueles que puderem apresentar síndrome respiratória aguda, evoluindo para respiração assistida. Estudos realizados com pacientes de UTI que foram submetidos a ventilação assistida mostram que, nesses casos, ter a saúde da boca em equilíbrio é fundamental.

Oriente seus pacientes

  • Antes de realizar a higiene bucal, é importante lavar bem as mãos
  • Usar fio e/ou fita dental diariamente.
  • Realizar escovação manual por dois minutos. Usar um relógio para se disciplinar e atingir o tempo recomendado. Alguns estudos conduzidos com grandes amostras populacionais mostraram o tempo médio de escovação inferior a 50 segundos, o que a torna eficiente
  • Realizar bochechos após a escovação. Preferir os produtos sem álcool e com cores claras para não manchar os dentes. O bochecho com clorexidina só deve feito com orientação profissional

Fonte: Assessoria de Imprensa

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA